Long Distance Relationship | A nossa história

by - September 23, 2016

Eu e o C. namoramos há quase 3 anos. O último, foi passado à distância.
Ele emigrou em agosto de 2015 para o Texas (Estados Unidos da América) para seguir o seu sonho de ser piloto comercial: o pai dele vive lá e por isso foi mais fácil tratar de toda a burocracia que os EUA impõem.

O curso corria bem e por ser em horário pós-laboral, o C. arranjou dois part-times em dois restaurantes perto de casa: de host passou para waitress e, mais tarde, foi promovido a barman. Segundo o que ele me diz, basta ser-se uma pessoa com vontade de aprender, trabalhadora, honesta e desenrascada para se evoluir rápido no trabalho.
As saudades são sempre enormes, das duas partes: a saudade de quem fica passa por frequentar os sítios onde costumávamos ir e perceber que a outra pessoa já não está cá; a saudade de quem vai é o desejo de que a outra pessoa pudesse ir para os EUA com ela - sim, porque Portugal continua a ser um país muito pequeno para o tamanho dos sonhos deste rapaz!

Cedo começou a ter as aulas práticas de aviação: primeiro com instrutor e, depois de fazer a primeira prova (o solo), sozinho. Se havia dias que ele estava mais feliz e entusiasmado, era nos dias em que ia pilotar. A parte teórica do curso, também se ia fazendo: estava com média de 18,5 valores! (traduzidos para as classificações de cá, que lá as classificações são em letras)


Mas... (há sempre um mas) houve um dia em que se soube que pelo menos um dos professores do curso dele não estava acreditado. Isto colocou em causa todo o curso e toda a formação destes recém-estudantes de aviação. Foi prometida a devolução do dinheiro já pago (que é muito...) e ajuda na inserção dos estudantes noutras escolas de aviação - a outra escola mais perto fica na Flórida! Seria começar outra vez do zero noutra faculdade, noutro estado, sem ninguém.

Em março, o C. veio a Portugal. Fez-me uma surpresa (bem combinada com a minha mãe) e apareceu-me à porta de casa sem eu saber. Já não nos víamos há sete meses e ainda estou para saber como é que não nos afogámos todos no mar de lágrimas que eu causei :)
Nessa altura, ele começou a investigar escolas de aviação aqui em Portugal: a ideia dele é tirar o curso rapidinho e começar a trabalhar para alguma companhia. Acabou por se decidir por uma que não fica aqui na capital e que vai implicar continuarmos a ter uma "long distance relationship" (depois de termos estado um ano a 8000km de distância e em fusos horários diferentes - 6h -, agora nem considero isto como sendo uma relação à distância!).


Voltou para o Texas durante outros 5 meses para fazer mais uns dinheirinhos antes de voltar. Voltou para os meus braços no dia 4 de setembro. As aulas dele só começam para a semana, pelo que temos estado a tentar aproveitar todas as horas, minutos e segundos que temos para matar as saudades causadas por 1 ano e 2 semanas de amor corrompido pela distância de um oceano!

You May Also Like

4 comentários

  1. É motivador ler este texto. Estou a passar por algo assim agora e tem sido bastante difícil. Mas o amor vence sempre e fico muito contente por vocês!

    Beijinhos! =)
    http://violetclouds.blogs.sapo.pt

    ReplyDelete
    Replies
    1. Força, Daniela! É tudo o que posso dizer-te: quando o amor é mais forte, não há nada que o separe. Vão haver dias e momentos difíceis, haverá pessoas a pôr em causa a vossa relação e a querer opiniar por tudo e por nada (também irás reparar que alguns "amigos" afinal não estão tão presentes na tua vida como tu pensavas)... Mas no fim, compensa! 😘

      Delete