Ser ativa. Não parar. Viver

by - October 28, 2016

Se há coisa que eu me tenho apercebido desde que fiquei "presa" num 7º semestre de licenciatura apenas por causa de uma cadeira, é que se eu não tiver proatividade para me levantar e fazer qualquer coisa, depressa começo a deprimir.

Não sinto que seja, por natureza, uma pessoa triste. Uma pessoa que vê o copo meio vazio. Mas esta fase da minha vida está a tornar-me mais melancólica que o normal e apesar de já ter percebido que não há nada a fazer para mudar este triste destino a não ser encarar um dia de cada vez e enfrentar esta dificuldade, sinto que se não estiver entretida com outras coisas, começo a entrar num ciclo de tristeza vicioso.

Posto isto, a minha ausência pelo blog tem-se devido a:

  • Participei como voluntária durante 3 dias no evento "Conference by Productized" (no Centro de Congressos de Lisboa - antiga FIL) através da Voluntify. Esta foi, até agora, a minha melhor experiência na área do voluntariado. Porque as pessoas com quem tive o prazer de trabalhar eram espetaculares, profissionais, com sentido de humor. Porque os CEO's da Voluntify fazem de tudo para garantir as melhores condições aos voluntários (pequeno-almoço, coffee break, chocolatinhos a meio do turno, almoço, brindes que os participantes da conferência receberam, nós também tivemos direito...). Foram três dias fantásticos, em que me fui totalmente "voluntificada"!


  • Tenho marcado almoços e jantares com todos os amigos com quem sentia que estava em falta: por ser eu que tenho mais tempo livre, em comparação com a malta que já está a trabalhar, tenho ido visitar amigas ao trabalho e marcado jantares para pormos a conversa em dia. Tem sabido tão bem!


  • Às terças-feiras vou almoçar com a minha mãe. Como saio da aula por volta do meio-dia, depois vou ter com a mãe ao escritório e roubo-a por uma horinha. Por duas vezes, tem vindo outra colega dela, que é assistente social: uma mulher cheia de ideias, cheia de sonhos, cheia de visões de um mundo mais igual e justo. Na passada terça-feira, agendou-me uma reunião com a diretora de um lar de idosas/centro de dia e de uma IPSS que funciona como uma creche e jardim de infância, para que eu (em regime pro-bono) apresentasse duas propostas de logotipos para as duas Casas. Eu que já não mexia no Illustrator desde o primeiro ano de faculdade, tenho passado horas de volta deste programa e, para quem não é expert nisto, acho que até nem me tenho safado mal. Caso os meus trabalhos sejam aprovados, eu depois partilho aqui.
  • Aos fins-de-semana tenho estado com o C. Vamos ao cinema, vamos jantar fora, estamos com amigos... Todos os minutos são aproveitados estrategicamente para que consigamos fazer tudo o que queremos fazer naqueles dois dias. 

Temos de ser ativos. Não podemos parar. Se sabemos que isso não nos vai fazer bem e que o melhor é sermos dinâmicos, temos de o ser! Em primeiro lugar estamos nós próprios, sempre. E eu tenho procurado saber ouvir-me para conseguir dar resposta às minhas necessidades - algo que já não fazia há muito. E tem sido tão bom...

You May Also Like

0 comentários